quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Arvores Frutíferas de Biribá

Nome popular: ata; verdadeira condessa; araticum patiá
Nome científico: Rollinia mucosa (Jacq.) Baill.
Família botânica: Annonaceae
Origem: Antilhas e México.
Biribá

Características da planta

Árvore pequena com até 8 m de altura, ramos pilosos quando jovens. Folhas até 15 cm de comprimento. Flores verdes externamente e róseas internamente.

Fruto

Globoso, composto por diversas partes hexagonais, muito unidas dando um aspecto característico. Polpa mole, branca, mucilaginosa que envolve as sementes de coloração castanho escura. Frutifica de fevereiro a junho.

Cultivo

Propaga-se por sementes e prefere regiões de clima quente e úmido.
biribá é mais um importante representante da família das Anonáceas.
Assim como a ata, pinha ou fruta-do-conde, como o araticum-do-cerrado ou marolo, como a graviola e como a pindaíba, o biribá é conhecido Brasil afora por vários nomes diferentes. Dependendo da região em que ocorre, pode ser ata, condessa-verdadeira, fruta-da-condessa, etc.
Existem biribás de tipos variáveis, em relação ao peso, à quantidade de polpa, à forma do fruto, tornando-se, também neste caso, difícil estabelecer a identidade precisa de cada um.
Trata-se, genericamente, de um fruto que nasce em árvores de tamanho pequeno a médio, que alcançam no máximo 8 metros de altura, e que tem a casca amarela ponteada por numerosas saliências, sendo uma para cada segmento interno do fruto.
De polpa suculenta e pouco fibrosa, de cor branca a crome, de sabor agradável e doce, o biribá é quase sempre consumido in natura, sendo uma das frutas mais populares e apreciadas de toda a região amazônica.
A importância do biribá no norte do Brasil é, seguramente, comparável à importância que alcança a comercialização e o consumo da graviola no nordeste: na época da frutificação o biribá pode ser encontrado por toda parte, em todas as feiras.
Com seu bonito amarelo, surge enfeitando as esquinas _ das grandes cidades, os pequenos mercados de beira-rio, as feiras de frutas do Mercado Ver Peso em Belém e do Mercado Municipal de Manaus.
Apesar de ser pouco cultivado comercialmente, o biribazeiro pode ser encontrado na maioria dos pomares domésticos das cidades da região e em praticamente todos os pomares do interior, sendo, seu fruto, vendido tanto nas bancas dos mercados como por ambulantes nas ruas.
biribá é, segundo Paulo Cavalcante, originário da região fronteiriça entre o Brasil e o Peru.
Por muito tempo supôs-se que o biribá tivesse se originado nas Antilhas, de onde teria sido trazido para a Amazônia. No entanto, uma vez que várias espécies silvestres similares ocorrem num e noutro lugar, é difícil a determinação precisa de sua origem.
O fato é que, atualmente, o biribá encontra-se em grande dispersão desde o Caribe até o extremo sul da Amazônia.
Fonte: www.bibvirt.futuro.usp.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário